Curty Qualidade | INFORMATIVO DA QUALIDADE-LAVAGEM DAS MÃOS
Especialista na Gestão da Qualidade em Saúde!
Gestão da Qualidade, Qualidade, Quality
279
post-template-default,single,single-post,postid-279,single-format-standard,ajax_fade,page_not_loaded,,qode_grid_1300,qode-content-sidebar-responsive,qode-theme-ver-10.1.1,wpb-js-composer js-comp-ver-5.0.1,vc_responsive

INFORMATIVO DA QUALIDADE-LAVAGEM DAS MÃOS

INFORMATIVO DA QUALIDADE-LAVAGEM DAS MÃOS

HIGIENIZAÇÃO DAS MÃOS

No ano de 2013, a ANVISA lançou como um dos Protocolos Básicos de Segurança do Paciente, o Protocolo para a Prática de Higienização das Mãos, cuja finalidade é a de promover a higiene das mãos em todos os serviços de saúde do país para controlar e prevenir infecções relacionadas à assistência à saúde e, deste modo, garantir a segurança dos pacientes e dos profissionais de saúde.

Desde o começo do ano, muito tem se falado sobre a importância da lavagem constante das mãos como uma medida preventiva na transmissão da COVID-19. Os serviços de saúde, em atendimento ao requisito do Ministério da Saúde,  devem promover  treinamentos no protocolo de higienização das mãos.

História da higienização das mãos: Em 1846, o médico húngaro Ignaz Philip Semmelweis, comprovou que os médicos e estudantes de medicina que saiam da sala de autópsia diretamente para a ala obstétrica eram os responsáveis pelos altos índices de casos de febre puerperal que afetavam as parturientes. Ele apresentou seus argumentos à equipe e insistiu que durante um mês, os médicos e estudantes que entrassem na ala obstétrica lavassem suas mãos com uma substância clorada, antes de examinar as pacientes. Após esse período, a taxa de mortalidade caiu de 12,2 para 1,2% . Esse estudo experimental demonstrou claramente a relação entre a higienização das mãos na prevenção das infecções.